Assinatura RSS

Liberdade Reprimida?

Publicado em

Vocês gostam de nós!

Por que sempre há um defensor dos pobres e oprimidos?

Quero dizer, por que, em praticamente todas as conversas, sejam quais forem, é necessário tomar cuidado pra não generalizar, pois, caso o faça, algum sujeito todo pimpão irá levantar a mão e falar “Não, não! Eu tenho um amigo no interior da Hungria que contraria o protocolo!”? Por exemplo: Ramones é uma banda muito popular, são os pais do Punk Rock, quase todo mundo que gosta de rock tem uma aproximação com Ramones, caso alguém diga “Porra, todo rockeiro curte Ramones!”, haverá uma lesma contextual pra fazer o aviso muito bem colocado: “Não! Tenho um amigo num vilarejo do leste da Tchecoslováquia que é rockeiro e não gosta de Ramones! Rá! Owned!”.

Eu coloco essa tendência à resistência da generalização como uma consequência da atual tolerância, eco-consciência e pseudorespeito.

Digo, realmente o sujeito não entendeu que se trata da representação do rockeiro e não de cada um em sua individualidade? “Todo rockeiro curte Ramones” não significa que cada um individualmente gosta das músicas dos Ramones, mas que, como representação do rock, o rockeiro, de forma geral, curte Ramones.

Mas o discurso por trás de uma oposição à generalização é muito mais interessante do que a própria oposição. Não é somente uma rigorosidade científica, o que está incluso nesta frase é o conceito de justiça, onde cada cultura deve ser respeitada, independente de seus atos, onde cada cosmovisão é, na verdade, um ponto de vista, e que todos os pontos de vista devem ser respeitados, onde o próprio respeito é a omissão de críticas, onde não há verdades absolutas e, por consequência, o mundo é coisa mais volátil que existe. Ao mesmo tempo em que existe a liberdade plena, também existe o determinismo pleno, basta você acreditar assim.

Neste ponto, sou totalmente contra boa parte da esquerda que vive na base de ‘gritos de guerra’, como liberdade e autonomia, que não gritos infundados em si. O problema é que a liberdade é levada na maior ingenuidade possível em um movimento social, já a autonomia, que tem como pressuposto a liberdade, acaba sendo uma consequência fraca.

A liberdade não tem limite, não há um limite do bom-senso para se utilizar da liberdade, por isso que os evangélicos, lutando pelo direito de “salvar” o mundo dos homossexuais, estão sendo o mais racional e honesto com o termo do que qualquer um poderia ser. O discurso típico de liberdade é falho ou hipócrita, já está demonstrado. Liberdade nenhuma pode ser limitada pelo bom-senso, pela bondade humana, pela justiça ou pela moral, liberdade é total, se não for total, não é liberdade e não é nada ruim admitir que não há liberdade. É um fato empírico.

Liberdade nenhuma é limitada pelo próximo, ela é somente estendida com a presença de um outro ser com liberdade, é uma noção básica.

Nós nunca podemos cair no conto liberal da “liberdade regulada”, parece que chamam de liberdade somente por ser um nome honroso. O que quero resumir nisto tudo é: lutas por liberdade são hipócritas.

São conceitos de grupos que pedem liberdade de existência e, para tal, aniquilam o conceito opressor, que não permitia sua expressão. Ou seja, para haver uma determinada expressão, outra é oprimida, transformando a liberdade em liberdade de um grupo sobre outro. Por que, então, se existe um respeito pleno a todos, não respeitam as ‘opiniões’ machistas, racistas, antissemitas, etc e etc?

Mas a grande sacada é que fazer de tudo uma questão de opinião muda o foco do real problema, fazendo o mesmo ser somente uma face da cultura, da intolerância, da falta de respeito. O racismo não é mais a exploração econômica e a desigualdade social alimentada por uma raça dita superior, é uma questão cultural, para resolver o problema, temos que conscientizar o povo, mas não acabar com a situação material que causa a exploração econômica e a desigualdade social.

Anúncios

Sobre Vinicius

Fascista desde criancinha.

»

  1. Ramones mt bom

    Resposta
  2. Acredito que a liberdade de cada um, acaba quando começa a do outro. Você tem o direito de se auto determinar racista ou homofóbico, mas o que não pode é afetar a moral do outro, invadir o espaço do outro, sim é bom senso, sou livre para sair matando quem eu vejo na rua?
    ”olho por olho e o mundo acabará cego”

    Resposta
  3. Pingback: Demissão de Rafinha Bastos, Liberdade e Band Liberal « Cabana de Inverno – Sociedade, Ideologia, Crítica Social, Feminismo, Machismo, Socialismo, Capitalismo, Anarquismo, Vegetarianismo, Comunismo, Marxismo, Slavoj Zizek, Louis Althusser, Al

  4. Pingback: Carros, Individualismo e Desejo Não Realizado « Cabana de Inverno – Sociedade, Ideologia, Crítica Social, Feminismo, Machismo, Socialismo, Capitalismo, Anarquismo, Vegetarianismo, Comunismo, Marxismo, Slavoj Zizek, Louis Althusser, Alienaç

  5. Pingback: Etiqueta da Manhã, Xingar o Chefe e Religião Limitada « Cabana de Inverno – Sociedade, Ideologia, Crítica Social, Feminismo, Machismo, Socialismo, Capitalismo, Anarquismo, Vegetarianismo, Comunismo, Marxismo, Slavoj Zizek, Louis Althusser,

  6. eu acho que a liberdade tem que caminhar junto ao respeito , todos são livres a pensar e agir como quiser desde que respeitem a liberdade do próximo, isso automaticamente gera um certo limite a liberdade.

    Resposta
  7. Pingback: Cura da Homossexualidade, Suposta Simetria e Essência Sexual « Cabana de Inverno – Sociedade, Ideologia, Crítica Social, Feminismo, Machismo, Socialismo, Capitalismo, Anarquismo, Vegetarianismo, Comunismo, Marxismo, Slavoj Zizek, Louis Althu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: