Assinatura RSS

A Opinião Pública Sempre Negativa Sobre Os Transportes Públicos

Publicado em

Após andar de trem e metrô junto com toda a população, Serra e Alckmin escutaram poucas e boas dos populares que, por lá, passavam. Não tem como não xingar o candidato, mas as críticas à superlotação dos vagões de trem e metrô nos horários de pico foram mais incisivas, tanto que despertou uma pequena revolta por parte de Serra: “É natural as pessoas quererem mais trem e mais metrô mesmo depois de todo o nosso investimento.”

Ele realmente acha que o serviço que fez em relação aos metrôs deve ser analisado como uma bola dentro, não como uma obrigação mínima de qualquer gestor de uma cidade enorme e superpopulosa como São Paulo. É como se se esperasse que a população tivesse absorvido a organização do transporte público com superlotação como se fosse normal, natural, coisa de cidade grande, e todas as melhoras feitas por Serra fossem excessos de sua gestão, não o prejuízo sendo alcançado e deixado pra trás de pouco em pouco (deixar pra trás é uma coisa difícil de acontecer enquanto o próprio prejuízo tiver uma função essencial na cidade de São Paulo – como diminuir custos públicos e aumentar as possibilidade da indústria privada e da organização privada sobre os serviços públicos, supostamente retirando tal serviço das mãos burocráticas de uma instituição estatal, além de incrustar nos usuários a vida “sofrida” como uma vida natural, como algo que é e que sempre vai ser. A desorganização nos transportes públicos educa o trabalhador e o estudante, mas os educa à apatia e servidão).

As críticas continuam por que o trasporte de uma cidade grande como São Paulo não pode ter erros regulares e cotidianos, como a lotação nos horários de pico. A tentativa de saudar as melhorias de sua gestão é uma tentativa de deslocar o centro da questão: o transporte público DEVE atender ao povo perfeitamente e caso não faça, então não é eficiente.

Acostumados à podridão de várias gestões e ao empobrecimento do centro da cidade, todos os problemas estruturais de São Paulo são recolocados em outras categorias, pois não são mais problemas, são partes constituintes da cidade e toda vez que são melhorados, o ato da melhora deve ser considerado um excesso não obrigatório do partido gestor.

Desta forma a imagem é colocada como real e a realidade é afastada da percepção. Se retira o contexto da ação. A melhoria dos trens não é analisada junto às constantes crises que o trasporte público atravessa e ao colapso geral em que se localiza, demonstrado pelas grandes lotações em horários de pico.

Anúncios

Sobre Vinicius

Fascista desde criancinha.

Uma resposta »

  1. Um ótimo texto, no qual abrange problemáticas muito mais amplas de uma cidade como São Paulo. Como você muito bem pontuou, um modelo que utiliza-se da apatia à serviço da naturalização do caos…

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: