Assinatura RSS

Arquivo do autor:Cesar

Motorista atropela ciclistas em Porto Alegre

Publicado em

Na última sexta-feira na cidade de Porto Alegre, o funcionário do Banco Central Ricardo Neis atropelou cerca de 10 ciclistas sem parar para oferecer ajuda.O motorista recentemente entregou se a policia, ele e seu advogado alegaram legitima defesa e pressa, Ricardo disse que não teve alternativa, pois alguns ciclistas batiam no vidro do carro e teriam quebrado seu retrovisor.Ele teria fugido por medo de ser linchado.

“A falta de tolerância no trânsito não pode ser justificativa para um ato de comportamento selvagem como esse. Havia rotas alternativas perfeitamente viáveis”disse o Delegado.

 

Embora os carros nos tratem com arrogância, nós não devolvemos com a mesma moeda, garanto que nenhuma Massa Crítica do mundo sai por aí quebrando os retrovisores dos carros e ameaçando os motoristas.

 

O transporte público brasileiro não é um transporte confortável e está cada vez mais caro.Nós ciclistas, skatistas e pedestres procuramos autonomia na hora de deslocarmos de um lugar para outro, além de alternativas baratas, saudáveis, sustentáveis e muitas vezes são a forma mais rápida de chegar em casa.O problema é que cada vez mais é estabelecido o pensamento de que as ruas foram feitas para os carros, não para as motocicletas, não para os ciclistas e skatistas,e muito menos para os pedestres,as ruas foram feitas para os carros e é assim que deve continuar.

Embora as leis brasileiras obriguem os motoristas respeitarem os pedestres, não é bem assim que a banda toca. É comum os motoristas acelerarem para que os pedestres corram para as calçadas,é comum os motoristas buzinarem para os ciclistas saírem do meio fio,é comum os motoristas buzinarem para os skatistas saírem da rua e irem para as calçadas.

 

Os carros são um dos maiores responsáveis pelas mortes no mundo, perdendo apenas para o cigarro e o câncer.Carros não são baratos, são os maiores responsáveis pela poluição e mesmo assim a indústria de carros cresce cada vez mais, pois ter um carro significa status, quanto mais caro o carro mais foda você é. Recentemente na cidade onde eu moro, casas foram derrubadas para a construção de uma nova estrada.Quanto mais carros nas ruas mais stress, mais acidentes, mais poluição, menos casas.Esse é verdadeiro preço do “status”.

Roubo uma frase de uma amiga que diz “Os verdadeiros selvagens estão nas cidades!” e encerro esse post.

 

Anúncios

Capitalismo: Uma história de amor (Capitalism: A love story)

Publicado em

Primeiramente gostaria de desculpar me pelo tempo que fiquei sem escrever nada aqui, sei que não tenho fãs que tatuam o meu rosto ou o meu nome em lugares escondidos, porém sei que tem uma galera ai que lê o que eu escrevo e saber disso me deixa muito feliz.

E posteriormente gostaria de mandar todo mundo se ferrar porque eu não to aqui pra agradar ninguém, beijos!

Vamos ao texto:

O filme “Capitalismo: Uma história de amor” é um documentário de Michael Moore que fala com muito sarcasmo e astúcia sobre o sistema dominante.Michael Moore procura padres, deputados, amigos e até donos de grandes empresas para conversar sobre o capitalismo atual, suas consequências para o mundo e para o próprio EUA.

O filme é uma mistura de imagens de arquivo que vão desde Roosevelt até Obama (sim o negro comunista), com boas entrevistas e pequenas brincadeiras de Moore.

Ao contrario do que muitos pensaram ao ouvir falar de um filme com esse enredo, com essa forma de tratamento, o filme não é um filme essencialmente de esquerda (um filme de esquerda trataria com muito mais ódio esse assunto), é apenas um documentário americano questionando os valores que lhe foram ensinados desde o berço, refletir se esse sistema é realmente o melhor para todos e que filma mais de perto as rachaduras dos pilares de um sistema defeituoso.

É um documentário divertido e deve ser analisado meticulosamente, concordar é o de menos.

Trailer:

Tudo Pode Dar Certo (Whatever Works )

Publicado em

Boris Yellnikoff é um velho professor de xadrez, rabugento, reclamão, arrogante e extremamente sábio, abriga em sua casa Melodie, uma jovem vinda do sul dos EUA precisando de ajuda.Ingênua e inocente a moça vive vários conflitos (cômicos) com esse senhor sábio e experiente.

Melodie é extremamente o oposto de Boris, inocente, ingênua, alegre (desprovida de inteligência também) e ele um senhor melancólico, solitário, sem nenhuma esperança e que tem uma teoria e uma opinião extremamente sagaz para todas as coisas, é como se o velho fosse uma metáfora de qualquer pessoa inteligente ou informada e a moça fosse o “mundo” que parece caminhar para a estupidez cada vez mais rápido.

Comédias inteligentes que te façam rir de verdade são cada vez mais difíceis de encontrar por ai, geralmente as “comédias inteligentes” são aqueles filmes onde você esboça um quase sorriso de vez em quando, e só aquele “Mané” chato do cinema acha graça e ri bem alto (só de sacanagem).Porém esse filme é diferente.

Com esse filme Woody consegue fazer uma bela metáfora sobre a velhice (um pouco pessimista eu diria), conseguindo brincar com temas como a melancolia, a solidão e a velhice, que segundo Woody não tem vantagem nenhuma.

Melancólico, inteligente e divertido, enfim com Woody Allen não se discute.

Pena de Morte.

Publicado em

A mídia não se cansa de metralhar nos com noticias de atrocidades acontecidas à classe média, o que acaba causando nos seres mais alienados aquele sentimento de “Pena de morte,já!” como se a pena de morte fosse a solução para o fim de todos os crimes ,principalmente os crimes que chocam  a sociedade e que a mídia sensacionalista adora divulgar.O que a grande maioria das pessoas á favor da pena de morte esquece é que a policia brasileira infelizmente, ainda é uma policia assassina, que tira a vida de milhares de anônimos todos os dias, enquanto do alto de seus prédios a classe média aplaude o ato do policial e grita “Isso mesmo, chumbo nesses vagabundos!”.

O jovem que começa a roubar, traficar e etc. esta ciente de que a qualquer momento ele poderá ser preso ou morto, e nem por isso nossos jovens estão seguindo um caminho diferente com receio da repressão.  Esquecemos,também, que a justiça brasileira é uma das mais falhas do mundo, totalmente vendida, e se adotássemos a pena de morte quem seria contemplado com essa dádiva?Os assassinos de mendigos, prostitutas e índios ou os ladrões de farinha, maçã e xampu?(não que eu seja a favor de uma pena em qualquer um dos casos).

O sistema penal é falho e só funciona se ainda quisermos uma sociedade medrosa e alienada, que infelizmente confunde o termo “justiça” com o termo “vingança”.Se queremos uma sociedade diferente façamos uma sociedade diferente,simplesmente suportar,cansa.

Good Intentions

Publicado em

“Uma parte de minha vida,dedicação

Para tudo que acredito, convicção”

Sim!!! Aqui também tem música violenta, barulhenta e do satanás…..

Os paulistanos do Good Intentions estão na ativa desde 1999 fazendo um hardcore influenciado principalmente por Gorilla Biscuits e Minor Threat.O som dos rapazes não é tão diferente assim de bandas que sobrevivem por ai, mas a mensagem deixada não é algo que se encontre por ai com facilidade.A mensagem que fica ao acabar de escutar uma música da banda é positiva, é esperançosa combinando com aquela fúria adolescente com a vontade de mudar.

O show da banda é impressionante, possui uma força descomunal que há tempos eu não via no cenário underground.A galera sobe no palco, canta a letra como se fosse um hino, disputa o microfone, se machuca e se orgulha dos hematomas adquiridos no show.

É uma banda atípica que só enriquece o cenário underground atual, a mensagem deixada pode não ser tão contestadora quanto a mensagem de algumas bandas do mesmo cenário, porém atualmente uma mensagem tão positiva pode ser mais importante do que qualquer outra.

http://www.myspace.com/goodxintentions

V de Vingança(V for Vendetta)

Publicado em

A historia do filme acontece em 2020, onde a Inglaterra sofre com o totalitarismo de um ditador fascista que responde de maneira violenta qualquer violação do que o estado julga ameaçador, das artes e a religião.Impondo essa nova sociedade a todos, onde todas as regras devem ser obedecidas e todos que não tiverem as características exigidas pelo o estado (como a de ser branco, heterossexual e etc.) ou desobedecerem alguma regra, serão reprimidos.E então surge um sujeito mascarado (“V”), renascido das cinzas de sua revolta e explode uma estatua que era um importante símbolo para Londres, posteriormente V invade uma estação de Televisão e pede para que os londrinos juntem-se a ele, e rebelem-se contra o regime.
Uns dizem que o filme é uma ficção, outros dizem que é um suspense político, o fato é que cada um classifica o gênero que achar melhor. O “blockbuster” foi adaptado dos quadrinhos pelos mesmos caras que fizeram Matrix, na época em que foi escrito a política da Dama de Ferro inspirou Allan Moore a criar V de Vingança.
Com ótimas frases ao longo do filme e uma bola de neve gigante no fim do filme,V de Vingança consegue  fazer entender a revolta, e, que nos revoltemos um pouco também (claro ninguém sairá por ai fazendo o mesmo, salvo algumas exceções européias) e que também nos faz entender a vingança, e aceitar, deixando por fim a reflexão sobre ambiguidade da vingança ou da revolução cabe a você o julgamento.

À Deriva

Publicado em

Filipa uma adolescente de 14 anos passa as férias de verão em Búzios com sua família.Enquanto amadurece o amor com sua turma de amigos,ela descobre que seu pai, um famoso escritor, trai sua mãe.Entre essas descobertas e outras que acontecem ao longo do filme, Filipa deve amadurecer mais cedo.

Conflitos adolescentes têm se tornado cada vez mais comum no cinema latino, esse rito de passagem da adolescência para a vida adulta tem sido mostrado de forma encantadora. A fotografia e direção alcançaram o nirvana da sensibilidade com uma historia simples, triste (que não causa choro) e que ao mesmo tempo encanta.

%d blogueiros gostam disto: